Translate

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Resenha: Sete Minutos Depois da Meia-Noite

Sete Minutos Depois da Meia-Noite
Patrick Ness (Baseado na ideia de Siobhan Dowd)
Novo Conceito

 "Histórias são criaturas selvagens".


 Eu pensei que seria difícil eu me emocionar tanto com um livro a ponto de me levar às lágrimas, mas eu me enganei! Sete Minutos Depois da Meia-Noite conseguiu me comover tanto que fico com meus olhos marejados só de lembrar da comovente história lindamente contada por Patrick Ness, adaptada de uma ideia da autora britânica Siobhan Dowd (falecida em 2007, aos 47 anos, vítima de câncer de mama), história essa que inspirou o filme estrelado por Sigourney Weaver e Liam Neeson, entre outros.

 O livro nos conta a história de Conor O' Malley, um menino de treze anos, cuja mãe se encontra muito doente, fazendo quimioterapia, e que costuma sofrer bullying na escola. Conor começa a receber a visita de um monstro formado de um teixo (uma árvore) que vem para lhe contar três histórias fantasiosas aparentemente, mas que começam a dar ao menino lições de vida. O monstro diz a Conor que após ele lhe contar as três histórias o próprio menino deverá lhe contar a quarta, senão será devorado. Perdido em seu drama pessoal, Conor tem que enfrentar seus mais profundos medos e encarar a pior das realidades: a doença de sua mãe, uma mulher bondosa, que o enche de esperança. Mas será que ele realmente crê em tudo o que lhe dizem? Seria melhor ser invisível? Tendo que ficar com a avó enquanto sua mãe está hospitalizada e se sentindo abandonado pelo pai, que, separado de sua mãe, agora tem uma nova família nos Estados Unidos (aparentemente ele mora na Inglaterra), Conor precisa ser forte, naquele momento, mais do que em qualquer outro, para entender porquê o monstro realmente se levantara ali.
 É uma história linda e triste, que vale muito a pena ser lida. Eu li e através dela pude me transportar ao mundo de Conor e me coloquei no lugar dele. Somos muito parecidos. Eu também tenho que contar a minha história.

 Todos os direitos autorais de Siobhan Dowd por este livro e por todos os livros dela vão para a Fundação Siobhan Dowd, que ajuda a levar a alegria da leitura para crianças que não têm acesso a livros e que não têm recursos, bem como a jovens em mesma situação. A própria autora criou essa fundação antes de falecer.
 Saiba mais sobre Siobhan Dowd:


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Resenha: Escândalo de Cetim.

Escândalo de Cetim - As Modistas 2
Loretta Chase
Arqueiro


 No primeiro volume de As Modistas, Sedução da Seda, nos deparamos com as "aventuras" de Marcelline Noirot, uma mulher determinada a ter entre suas freguesas as mais nobres damas, fazendo de tudo para que elas apreciem os vestidos confeccionados por ela e suas irmãs Sophia e Leonie, e encontra paixão nos braços do duque de Cleveland. 

 Neste segundo volume, Sophia Noirot, a irmã do meio, é o foco das atenções. Ela é a "espiã", a "atriz", que consegue informações valiosas para que sua loja não seja levada à falência. Ela também leva informações para o Foxe's Morning Spectacle, o principal jornal de escândalos de Londres nos idos de 1835. Determinada a ajudar uma de suas mais nobres clientes, Clara Fairfax, envolvida com um homem falido e ambicioso que provoca uma situação que naquela época era um escândalo e obrigava Clara a se casar com ele, Sophia se envolve com o irmão desta, Harry Fairfax, o conde de Longmore, um jovem de 27 anos que não precisava trabalhar e era adepto de prazeres incontáveis. 
 Desesperada, Clara foge, obrigando Longmore a ir procurá-la, levando consigo a incansável Sophia e isso faz com que os dois caiam no mais profundo abismo da paixão. 
 Sophia engendra um plano para fazer com que Clara se livre dignamente do noivado e acaba, ela mesma, perdendo o rumo nos braços do audacioso e belicoso conde.
 Mais uma vez Loretta Chase nos presenteia com esse interessante e delicioso romance de época. Mais uma escolha certa da Arqueiro para todos os amantes do gênero. Divertido e charmoso, vale a pena ler.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Resenha: A Guardiã de Histórias

A Guardiã de Histórias

Victoria Schwab
Bertrand Brasil


  Imagine alguém que já partiu não como um morto, mas como uma História. E imagine também que essa pessoa está guardada em prateleiras, como livros, arquivadas pela eternidade. E pense em como seria estar encarregada de cuidar para que nenhuma dessas Histórias saia de seu lugar e fique vagando por lugares indesejados ou escape para nosso mundo. Pois é! Mackenzie Bishop, de 16 anos, é uma dessas pessoas, uma Guardiã, que herdou o lugar de seu avô, Anthony Bishop, quando tinha apenas 12 anos. Ela e seus pais se mudam para um antigo hotel, hoje um condomínio, e ali o trabalho dela de impedir que as Histórias fujam do Arquivo fica mais intenso. Mac, como a chamam, ainda se sente muito abalada com a perda do avô e, depois, de seu irmão Ben, de apenas 10 anos, mas cumpre seu papel na medida do possível e começa a estranhar a multiplicação de fugas das Histórias, muitas vezes violentas, e resolve investigar.  Ela, então, conhece Wes, outro Guardião, e com ele começa uma amizade até que, por problemas no Arquivo, eles começam a trabalhar juntos, resgatando as Histórias. 
 Mas há um mistério que envolve vários falecimentos, começando pelo de Regina, de apenas 15 anos, irmã de Owen, que Mac conhece nos corredores onde "caça" as Histórias e por quem tem uma queda. O que está por trás dessas mortes? Foram acidentes, suicídio ou assassinatos? Tudo começa a se complicar e Mac é ameaçada de perder seu cargo. Quem estará acordando as Histórias? Quem é o criminoso?
  Eu custei a pegar esse livro para ler. Parecia tedioso, mas quanto engano! Um livro emocionante, cheio de ação, mistério e surpresas. Extremamente bem escrito, de fácil e agradável leitura, ele prende a atenção até a última página. Fiquei realmente apaixonada pela narrativa e posso dizer que é um dos melhores livros que li neste curto espaço de tempo! Acredito que até os "não-amantes" da leitura vão gostar, justamente por essa dinâmica e acontecimentos que se sucedem sem deixar sequer uma nota enfadonha. Uma das coisas que mais gostei foi a ideia de uma pessoa, na verdade, ser uma História. Eu nunca havia percebido, "sem-querer-e-já-querendo" ir fundo no delírio comum a todos os professores de literatura, que é isso o que realmente somos: várias Histórias, diferentes, ricas em detalhes, e, por isso mesmo, importantes e que devem ser lidas e respeitadas. 
 Leiam e, como eu, se apaixonem! 

Em tempo: Victoria Schwab é autora de A Bruxa de Near, pela Editora Planeta.

sábado, 7 de janeiro de 2017

Lançamento: Boxe Quarteto Smythe-Smith

Boxe Quarteto Smythe-Smith  
Julia Quinn
Arqueiro

 Lançamento previsto para dia 08/02/2017.


Os Bridgertons conhecem as Smythe-Smiths. E você?
Há quase vinte anos o sobrenome Smythe-Smith é sinônimo de música desafinada. Ainda assim – talvez por pena, talvez por surdez – a sociedade londrina continua a se reunir anualmente para assistir ao catastrófico concerto das jovens solteiras da família.

Pelo seu palco passam as histórias mais cativantes e os casais mais apaixonantes. Honoria e Marcus se reencontram e reavivam sua amizade, que pode ter um quê a mais (além de muitos bolos e tortas). Anne e Daniel sentem uma atração irresistível e precisam lidar com um perigo mortal – e com uma garotinha que ama unicórnios. Sarah e Hugh são assombrados por um evento do passado, mas não a ponto de não poderem trocar (muitos) beijos. Já Iris e sir Richard... bom, Iris não tem a mais pálida ideia do que o levou a pedi-la em casamento – ele só pode estar escondendo um segredo.
Não perca este magistral quarteto, digno de muitos aplausos!

Os livros poderão ser comprados separadamente. Aqui estão, em sua ordem:


Simplesmente o Paraíso
sinopse:

 Honoria Smythe-Smith sabe que, para ser uma violinista ruim, ainda precisa melhorar muito…
 Mesmo assim, nunca deixaria de se apresentar no concerto anual das Smythe-Smiths. Ela adora ensaiar com as três primas para manter essa tradição que já dura quase duas décadas entre as jovens solteiras da família. Além disso, de nada adiantaria se lamentar, então Honoria coloca um sorriso no rosto e se exibe no recital mais desafinado da Inglaterra, na esperança de que algum belo cavalheiro na plateia esteja em busca de uma esposa, não de uma musicista.
Marcus Holroyd foi encarregado de uma missão…
Porém não se sente tão confortável com a tarefa. Ao deixar o país, seu melhor amigo, Daniel, o fez prometer que vigiaria sua irmã Honoria, impedindo que a moça se casasse com pretendentes inadequados. O problema é que ninguém lhe parece bom o bastante para ela. Aos olhos de Marcus, um marido para Honoria precisaria conhecê-la bem (de preferência, desde a infância, como ele), saber do que ela gosta (doces de todo tipo) e o que a aflige (como a tristeza pelo exílio de Daniel, que ele também sente). Será que o homem ideal para Honoria é justamente o que sempre esteve ao seu lado afastando todo e qualquer pretendente?
Com seu estilo inteligente e divertido, Julia Quinn enfim apresenta ao público o Quarteto Smythe-Smith, o terrivelmente famoso e adoravelmente desafinado grupo musical que conquistou os leitores antes mesmo que as cortinas se abrissem para ele.
***
"Ela lhe lançou um olhar furioso e saiu pisando fi rme. Na direção errada.
– Honoria!
Ela se voltou. Marcus tomou todo o cuidado para não sorrir e apontou para a direção correta.
– É por ali.
Honoria retesou o maxilar, mas disse apenas:
– Obrigada.
Porém, ela se virou rápido demais e tropeçou. Deixando escapar um gritinho, tentou recuperar o equilíbrio.
Marcus fez o que qualquer cavalheiro instintivamente faria: adiantou-se, apressado, para ampará-la.
Só que acabou pisando no maldito buraco.
O grito seguinte foi de Marcus – um tanto profano, envergonhava-se de admitir. Ele se desequilibrou e os dois caíram, aterrissando na terra úmida com um baque, Honoria de costas e Marcus bem em cima dela. Ele se apoiou nos cotovelos, tentando tirar o máximo de peso de cima dela, e olhou para baixo. Disse a si mesmo que era para ver se Honoria estava bem. Iria lhe perguntar isso assim que recuperasse o fôlego. Mas, quando a encarou, seus lábios estavam entreabertos, os olhos com uma expressão atordoada.
E Marcus fez o que qualquer cavalheiro instintivamente faria: baixou a cabeça para beijá-la."


Uma Noite como Esta
Sinopse: 


Anne Wynter pode não ser quem diz que é…
Mas está se saindo muito bem como governanta de três jovenzinhas bem-nascidas. Seu trabalho é bastante desafiador: em uma única semana ela precisa se esconder em um depósito de instrumentos musicais, interpretar uma rainha má em uma peça que pode ser uma tragédia ou, talvez, uma comédia – ninguém sabe ao certo – e cuidar dos ferimentos do irresistível conde de Winstead. Após anos se esquivando de avanços masculinos indesejados, ele é o primeiro homem que a deixa verdadeiramente tentada, e está cada vez mais difícil para ela lembrar que uma governanta não tem o direito de flertar com um nobre.
Daniel Smythe-Smith pode estar em perigo…
Mas isso não impede o jovem conde de se apaixonar. Quando ele vê uma misteriosa mulher no concerto anual na casa de sua família, promete fazer de tudo para conhecê-la melhor, mesmo que isso signifique passar os dias na companhia de uma menina de 10 anos que pensa que é um unicórnio.
O problema é que Daniel tem um inimigo que prometeu matá-lo. Mesmo assim, no momento em que vê Anne ser ameaçada, ele não mede esforços para salvá-la e garantir seu final feliz com ela.
***
"–Quem é a senhorita? – sussurrou Daniel no ouvido da jovem.
– Quem é o senhor? – retrucou ela.
– Perguntei primeiro.
– Não falo com estranhos.
Daniel riu, então a girou para que ficassem frente a frente. Havia algo naquela mulher que fazia o sangue dele se inflamar.
– Acho... Acho que preciso beijá-la.
Ela recuou de forma abrupta, não exatamente assustada, mas confusa. Ou talvez preocupada.
– Um beijo rápido – assegurou Daniel. – Só preciso lembrar a mim mesmo...
– O quê?
Ele sorriu.
– O que é bom.
Então Daniel a beijou. Hesitante a princípio, quase com medo de que ela desaparecesse de seus braços. Mas logo a paixão ganhou vida dentro dele e Daniel a puxou mais para perto, deleitando-se com a pressão suave do corpo da jovem contra o seu.
A mão de Daniel ansiava por se fechar ao redor do seio dela, ou por se encaixar na curva perfeita do traseiro. Mas nem mesmo ele seria tão ousado, não com uma dama desconhecida, na casa da mãe dele.
Ainda assim, não estava pronto para soltá-la. Estava inebriado, transbordando de uma leveza que jamais imaginara voltar a sentir.
Era loucura. Só podia ser.
– Como a senhorita se chama? –
perguntou em um sussurro."


A Soma de Todos os Beijos
Sinopse:

Um brilhante matemático pode controlar tudo…
A não ser que um dia exagere na bebida a ponto de desafiar o amigo para um duelo. Desde que quebrou essa regra de ouro, Hugh Prentice vive com as consequências daquela noite: uma perna aleijada e os olhares de reprovação de toda a sociedade. Não que ele se importe com o que pensam dele. Ou pelo menos com o que a maioria pensa, porque a bela Sarah Pleinsworth está começando a incomodá-lo.
Lady Sarah nunca foi descrita como uma pessoa contida…
Na verdade, a palavra que mais usam em relação a ela é “dramática” – seguida de perto por “teimosa”. Mas Sarah faz tudo guiada pelo bom coração. Até mesmo deixar bem claro para Hugh Prentice que ele quase destruiu sua família naquele bendito duelo e que ela jamais poderá perdoá-lo.
Mas, ao serem forçados a passar uma semana na companhia um do outro, eles percebem que nem sempre convém confiar em primeiras impressões. E, quando um beijo leva a outro, e mais outro, e ainda outro, o matemático pode perder a conta e a donzela pode, pela primeira vez, ficar sem palavras.
***
"–Hugh não estava preparado para o olhar de Sarah. Ela ergueu a cabeça na direção da dele, os lábios afastando-se como se ela tomasse fôlego, e naquele momento Hugh teria jurado que o sol nascia e se punha no sorriso dela.
Ele se inclinou, fi cando perto o bastante para um sussurro:
– Se, como diz, não sou aleijado, então posso dançar.
Ela estendeu o braço e pôs a mão na dele. Quando ambos estavam aprumados, Hugh ouviu acordes musicais fl utuando na brisa da noite. Uma quadrilha.
– Acho que estou ouvindo uma valsa – disse.
Sarah o encarou, prestes a corrigi-lo. Hugh pôs um dedo nos lábios dela.
– É para ser uma valsa – disse.
E viu o instante em que ela compreendeu.
– Se eu apoiar minha mão aqui – disse Hugh, segurando o punho da bengala – e a senhorita puser a sua sobre a minha...
Sarah seguiu o movimento de Hugh e ele pôs a outra mão na base das costas dela. Sem tirar os olhos dos de Hugh, Sarah pousou a mão livre no ombro dele.
– Assim? – sussurrou.
Ele assentiu.
– Assim.
Hugh cantarolou o ritmo e conduziu Sarah com uma leve pressão nas costas, movendo a bengala sempre que era hora de se virarem. Ele não dançava fazia quase quatro anos. E essa noite... estava sendo mágica. Jamais poderia lhe agradecer o sufi ciente por isso, por restaurar um pedaço de sua alma. Foi a valsa mais estranha e desajeitada que se poderia imaginar, mas também foi o momento mais perfeito da vida dele."


Os Mistérios de Sir Richard
Sinopse:


Sir Richard Kenworth tem menos de um mês para encontrar uma esposa…
Por isso sabe que não pode ser muito exigente. Mas, quando vê Iris Smythe-Smith ao violoncelo no tradicionalmente desafinado recital de sua família, pensa que o destino trabalhou a seu favor. Ela é o tipo de garota que não atrai muitos olhares, porém algo o faz ter certeza de que é a escolha perfeita.
Iris Smythe-Smith já se acostumou a ser subestimada…
Com seu cabelo muito claro, a pele alva e o jeito discreto, ela quase sempre passa despercebida, ainda que seja a única do Quarteto Smythe-Smith que realmente sabe tocar um instrumento – não que alguém consiga escutá-la em meio à cacofonia dos concertos. Por isso, quando o charmoso Richard Kenworthy pede para ser apresentado a ela, Iris fica envaidecida, mas também desconfiada.
E quando o pedido de casamento dele se transforma numa situação comprometedora, Iris tem a sensação de que ele está escondendo algo… ainda que Richard pareça mesmo apaixonado e que o coração dela esteja implorando para que diga sim.
***
"– Nós só nos conhecemos há uma semana, mas você já deve ter notado minha afeição – disse sir Richard.
Iris sentiu a cabeça se mexer, mas não sabia se tinha aquiescido ou não. De qualquer maneira, nem lembrava qual era a pergunta que devia responder.
– Não pude esperar mais – murmurou ele.
– Eu... Eu não...
Ela havia recuperado a voz, só que ainda não conseguia formar uma frase.
Richard deu um beijo, leve como uma pluma, na parte interior do pulso dela.
– Seja minha, Iris – pediu ele, a voz rouca pelo que ela imaginou ser desejo.
Ele a beijou de novo, passeando os lábios por sua pele macia.
– Seja minha e eu serei seu.
Ela não conseguia raciocinar. Como poderia, se Richard a olhava como se os dois fossem as únicas almas vivas na Terra? Seus olhos negros eram ardentes e a fizeram desejar abandonar todo o bom senso. Seu corpo estremeceu, a respiração se acelerou, e ela não conseguia afastar os olhos da boca de sir Richard quando ele a beijou na palma da mão.
Iris sentiu algo que era impróprio sentir. Pelo menos ali, no saguão da casa da tia, com um homem que mal conhecia.
– Quer se casar comigo?"

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Resenha: Um Presente da Tiffany

Um Presente da Tiffany
Melissa Hill
Intrínseca


 O amor, ah, sempre o amor! O que faz um homem entrar em uma das mais caras joalherias em Nova York e comprar um solitário? O amor, é claro! Mas quando esse homem percebe, com desespero, que seu presente foi trocado por uma simples pulseira de berloques a coisa fica muiro, mas muito séria. Foi o que aconteceu com Ethan Greene, um professor de história britânico na véspera do natal. Ethan havia ido até a Tiffany & Co. com sua filha de oito anos, Daisy, para buscar um lindo anel de noivado, pois tinha a intenção de pedir Vanessa Fox, sua namorada, em casamento. Na saída da loja, Ethan presencia um acidente: um homem é atropelado por um taxi. Com sua boa vontade, ele e Daisy ajudam a socorrer o estranho, que também estava cheio de bolsas de compras para aquele natal. Na confusão, os presentes (ambos comprados na Tiffany) são trocados e Ethan só percebe quando Vanessa abre o seu. Ele, que faz segredo com Daisy, vai até o hospital para pegar de volta o anel, mas conhece a doce Rachel Conti, namorada de Gary Knowles, o homem atropelado, e não consegue falar nada; Gary está ainda desacordado, mas assim que volta a si e percebe o engano (ele, em princípio, não sabe que o anel pertence a Ethan), se cala e se vê na "obrigação" de pedir Rachel em casamento.
 Toda essa confusão leva Ethan à Irlanda, onde  Rachel tem um bistrot, o Stromboli, para tentar recuperar o anel e surpreendentemente os sentimentos começam a mudar. A partir daí há uma reviravolta na história e muitas deliciosas surpresas.
 Melissa Hill escreveu uma história divertida de amor, confiança e, até, de inocência. Este livro mostra que pessoas podem mudar, que mentir não compensa. Não, não é um livro que prega a moral, mas um livro cuja narrativa leve e despojada nos prende do início ao fim.
  O final é surpreendente e delicioso! Acreditem, vocês vão gostar!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Clara Savelli e Aimée Oliveira na Livraria da Travessa no barra Shopping

Evento

Venha conhecer e rever as autoras mais fofas desse Brasil! Tem maneira melhor de começar o ano? Aproveite o evento para adquirir seu exemplar com autógrafo e receber muito carinho da Aimee e da Clara. E claro que sempre rola aquele brinde para quem for prestigiar o evento... Então, pode marcar na sua agenda!

Convidamos vocês para Sessão de autógrafos dos livros:

Mocassins & All Stars - Clara Savelli
Pela Janela Indiscreta - Aimee Oliveira
Amores Improváveis no colégio (coletânea de contos) - Aimee Oliveira [LANÇAMENTO]

O evento rola dia 08/01, às 16h, na Livraria da Travessa do Barra Shopping.

REGRAS DE PARTICIPAÇÃO
- O atendimento será por ordem de chegada;
- As autoras atenderá o maior número possível de leitores dentro do horário permitido pela livraria;
- Serão permitidas (MUITAS) fotos com celulares e/ou câmeras pessoais.
- Brindes estão sujeitos a disponibilidade em estoque. Então, chegue cedo!